Resenha: A Linguagem das Flores

Título: A Linguagem das Flores
Autora: Vanessa Diffenbaugh
Editora: Arqueiro
Páginas: 304

Em seu livro de estreia, Vanessa Diffenbaugh cria uma heroína intensa e inesquecível. Misturando passado e presente num intricado quebra-cabeça, A linguagem das flores é essencialmente uma história de amor – entre mãe e filha, entre homem e mulher e, sobretudo, de amor-próprio.





"Qualquer pessoa pode se transformar em algo belo."

Victoria Jones não acredita nisso. Ela sempre foi uma menina difícil e problemática, sempre afastou as pessoas e nunca gostou de ser tocada. Sem família e amigos, Victoria passou sua vida sendo jogada de um abrigo para outro, sendo adotada e devolvida. Sua vida tem a chance de mudar quando Meredith Combs, assistente social responsável por selecionar as famílias adotivas à leva para casa de Elizabeth, uma mulher muito tranquila que está disposta a ficar com ela. Elizabeth é dona de um vinhedo, e gosta muito de flores, e é por intermédio dela que Victoria se apaixona pelas flores e por suas mensagens. 
A convivência não é fácil, pois Victoria é muito rebelde e não facilita nada, mas com o tempo, Victoria aprende a gostar de sua mãe adotiva e pela primeira vez, ela quer ficar em um lar. Elizabeth vê em sua filha o que ela foi um dia: Uma garota sem o amor da mãe e apenas o carinho da irmã que trocava com ela, mensagens secretas através das flores. Mas hoje, Elizabeth e sua irmã Catherine não se falam mais, e Elizabeth não pode nem chegar perto de seu sobrinho, que trabalha no mercado dos fazendeiros. Os dias passam e Victoria tem certeza que é ali, junto com Elizabeth que ela quer ficar, mas uma atitude sua, uma atitude impulsiva e egoísta muda todos seus planos e seu destino. 
Agora com 18 anos e emancipada, Victoria não tem ninguém nem mesmo um amigo, e muito menos um lugar para ficar. Meredith à leva para um dormitório e paga um mês de estadia, deixando bem claro que ela precisa arrumar um emprego se quiser um local para ficar. Mas Victoria não se comove, deixando os dias passarem sem preocupação. Um mês depois, sozinha e sem dinheiro, ela vai morar numa praça pública, onde resolve cultivar um pequeno jardim. 
Logo ela percebe que não pode viver dessa maneira, e ao procurar emprego conhece Renata, uma florista local. Mas como não tem experiência, o máximo que consegue é 5 dólares para descarregar uma caminhonete. Com este dinheiro Victoria compra alguns acessórios, e pegando algumas flores no seu jardim faz um buquê que remete a preces, sinceridade e um coração inocente. Ela sabe que essa é sua única chance...
Trabalhando com Renata, e tendo um lugar para morar, a vida de Victoria parece entrar nos eixos. Mesmo não acreditando na sua capacidade, e tendo absoluta certeza que vai estragar tudo em breve, Victoria leva sua vida da melhor maneira possível. Mas quando ela conhece Grant, um vendedor de flores, Victoria é obrigada a enfrentar seus piores pesadelos, um fantasma do passado que ela tenta esquecer. 
Ela não estar sozinha, e precisa se perdoar para encontrar o caminho certo. Junto com Grant ela descobre o amor, o toque, o significado da palavra perdão. Mas Victoria precisa querer isso, ela precisa enfrentar o passado, pegar o caminho de volta e se transformar em algo novo e belo. Mas como fazer isso, se ela não acredita e não confia em si própria. Victoria será capaz? Terá uma segunda chance?

A Linguagem das Flores é um daqueles livros que você olha a capa, acha bonita e se apaixona pela história do início ao fim. Um livro muito bem escrito, uma linguagem simples, leve e envolvente. Narrado em primeira pessoa, este livro é simplesmente maravilhoso. Dividido em quatro partes, intercalado entre o passado e o presente de Victoria, a autora Vanessa Diffenbaugh criou uma obra inesquecível e única.
Os personagens são quase polpáveis, simplesmente encantadores, se tornando quase reais. Nossa protagonista Victoria é uma garota nervosa, solitária, temperamental e muito difícil. Grant é um rapaz de poucas palavras. Renata é uma florista super bacana, amiga e solidaria. Elizabeth é minha personagem favorita! Uma mulher fantástica, que mesmo nos momentos mais difíceis e irritantes não desiste de Victoria. E as flores, que conheci a cada página, e que tem um papel tão importante na trama. Também conhecemos outros personagens que vão dando vida a história no decorrer da leitura. Todos marcantes...
No decorrer do livro conhecemos vários tipos de flores, seus nomes e seus significados. E no final encontramos o dicionário de flores da Victoria, que eu gostei bastante. Minhas favoritas e algumas citadas no decorrer da história:

Abacaxi ( Ananas Comosus) Você é perfeito
Acácia (Acacia) Amor secreto
Álamo- branco (populus alba) Tempo
Alecrim (Rosmarinus officinalis) Recordação
Azedinha (Rumex acetosa) Amor de pai e mãe
Cardo (Cirsium) Misantropia - A favorita de Victoria
"Se você me disser exatamente o que está sentindo, poderei ajudá-la a encontrar a flor certa para transmitir sua mensagem.- Não gosto de você - falei. - Não gosto que tranque do lado de fora da casa ou me jogue em cima da pia da cozinha. Não gosto que fique tocando minhas costas, apertando meu rosto ou me forçando a brincar com perla. Não gosto das suas flores, das suas mensagens nem dos seus dedos finos. Não gosto de nada a seu respeito. E também não gosto de nada no mundo.-Muito melhor! - Elizabeth parecia sinceramente impressionada por meu monólogo repleto de ódio. - Sem dúvida, a flor que você está procurando é o cardo, que simboliza a misantropia. Misantropia significa ódio pela humanidade ou falta de confiança nela." - Repeti-a mentalmente até me certificar de que não a esqueceria. 
A diagramação do livro é perfeita, parabéns a Editora Arqueiro pelo belíssimo trabalho. A Linguagem das Flores é uma lição de amor, arrependimento e perdão. Ao final você vai aprender que qualquer pessoa pode mudar seu comportamento e se transformar em algo belo.
Super recomendo*
"Lembrei-me das palavras que Meredith me dissera na Gathering House e outras centenas de vezes antes: Você tem que querer. Você tem que querer ser uma filha, uma irmã, uma amiga, uma estudante, repetira ela à exaustão."
"Acredito que você também pode provar que todos estão errados, Victoria. Seu comportamento é uma escolha, não quem você é de verdade."

Avaliação:




Esse livro é uma cortesia da Editora:

10 comments

Sugar Blog 13 junho, 2012

Deve ser muito bom esse livroo!
Bjs
www.sugarblog.net

Andressa Tomaz 13 junho, 2012

Oi Pollyana!
Já vi muita gente que gostou desse livro e muitos que acharam que faltou alguma coisa na história. Mas eu sou curiosa para conhecer está obra que tem mesmo uma ótima diagramação!

Beijos.

Angela Graziela 13 junho, 2012

Esse livro parece ser bem triste
Mas parece ser lindo

Beijos
@pocketlibro
http://pocketlibro.blogspot.com

marla 13 junho, 2012

Olá,
Primeira resenha que leio desse livro e achei o enredo dele bem interessante.
Gostei muito da sua resenha e fiquei com muita vontade de ler o livro.
*bye*

Louca por Romances

leitura hot 14 junho, 2012

Oi Polly!
Adorei a resenha, puxa o livro parece ser incrível! Apesar de não ter gostado muito da capinha..rsrs

Beijokas
Amanda
leiturahot.blogspot.com

*.png 14 junho, 2012

"Qualquer pessoa pode se transformar em algo belo."
Que estranho, conheço uma frase que fala mais ou menos assim:
"O que é belo para você, não precisa necessariamente ser para mim."
Em qual devo acreditar?
Acredito que tudo na passa de opniões (sim, com 'p' mudo), distintas. O que é belo e o que é feio?
Vai-se saber...

Crê Schroeder 14 junho, 2012

segue meu blog vou seguir o seu tbm www.crenamoda.blogspot.com.br
bjos e se precisar estarei akii
*

Nana 15 junho, 2012

Ahh quero tanto ler esse livro
Parece ser bem fofo, agradável.
Amei sua resenha!
Se der compro ele esse mês.

beijos e uma ótima sexta
Nana - Obsession Valley

Berchim e etc 15 junho, 2012

Aii, que bom qeu você gostou tanto assim do livro!
Morro de vontade de ler!! Todo mundo elogia.
Ele parece bem bom mesmo, e bem diferente hahha

Beijoss
Thaís - Instinto de Leitura

Denise 21 junho, 2012

Li esse livro no começo desse ano e nossa, com certeza esta entre as melhores leituras do ano. Embora a linguagem da autora seja crua, sem floreios ao dizer as coisas, o livro é maravilhoso. Trata do tema da adoção de forma clara e foi esse assunto que eu mais gostei no livro.

Sem contar que eu nunca tinha lido um livro sobre flores e tal.

Bjus, @dnisin
http://diamanteliterario.blogspot.com.br/

Postar um comentário